Verbo FM

Trilogia: “O tempo!” – Parte III – Futuro

RG 11
Rubens Nascimento
Graduado da Escola de Ministros Rhema

Leia a Parte I e Parte II 

O futuro é um tempo especulativo, esperado, teórico, no qual poderemos lançar a nossa Fé em Deus, declarando e crendo em coisas boas e fazendo com que essas coisas possam se realizar. O futuro faz alusão aquilo que está para vir e para acontecer.

O futuro, no entanto, é uma conjectura de ocorrências que podem ser calculadas, temporizadas ou até mesmo antecipadas, de acordo com aquilo que fazemos no presente. E essas atitudes são como a plantação de uma árvore, a qual chegará ao tempo de afloramento e de frutos, mas que antes exige a preparação de um terreno fértil, a escolha de uma boa semente, além dos cuidados habituais de conservação da área e irrigação. A plantação é tudo aquilo que fazemos no presente e a expectativa de colher os frutos é o que temos para o futuro, como consequência daquilo que plantamos… e, com essa afirmativa, devemos plantar algo bom para podermos colher algo da mesma natureza. (Mateus 7:17-18)

No tocante a plantação, é importante apontar que Jesus geralmente contava parábolas a respeito dos acontecimentos do dia-a-dia, ilustrando verdades espirituais. Destacamos aquela registrada nos evangelhos de Mateus 13:1-23, Marcos 4:1-20 e Lucas 8:4-15, a qual relata a história de um fazendeiro o qual lançou sementes em vários lugares (mesmo que involuntariamente) e que obteve resultados diferentes, dependendo do tipo de terreno.
Diz na parábola que o semeador saiu a semear; tendo uma parte de suas sementes caído à beira do caminho, sido pisada e comida pelas aves do céu. Outras sementes caíram sobre a pedra e acabaram secando por falta de uma raiz mais profunda e de umidade. Outras, ainda, caíram no meio dos espinhos e assim foram sufocadas com o tempo. Uma parte, por fim, caiu em boa terra, naquilo que foi devidamente preparado, tendo crescido e produzido bastante frutos. (Lucas 8:5-8).

Nessa parábola Jesus traz uma explicação explícita, contida no evangelho de Lucas 8:11-15; porém me permitam aproveitar essa mesma história e aprofundar o contexto de nossa leitura.

A semente que caiu à beira do caminho, nessa semeadura diária que fazemos consciente ou inconscientemente, é tudo aquilo que está à margem da vida real, geralmente vinculada a situações pretéritas e que foram levadas pelas “aves do tempo”, irreversivelmente. Temos que ter o cuidado para não ficarmos aprisionados nas sementes que não foram aproveitadas no seu tempo, remoendo a colheita que se perdeu, porém colocando em risco, também, as sementes que estão em nossas mãos, no dia de hoje.

Aquelas sementes caídas em cima de pedregulhos, e que foram frustradas pela superficialidade, pode nos remeter a tudo aquilo que colocamos força sem o devido preparo ou comprometimento, sem base ou estrutura para o crescimento. Poderão até nascer, mas, igualmente, não chegarão ao tempo de colheita e perecerão infrutíferas.

As sementes que caíram entre os espinhos, nos fazem perceber que temos que ter cuidado com aquilo que Deus nos confiou de modo particular, preservando a chama dos nossos sonhos em Deus sempre acesa e tendo o cuidado ainda de não compartilhar essas experiências, ou mesmo inclinações, para pessoas com visão distintas à nossa ou para aquelas que não estão no mesmo nível de compreensão. Essas pessoas, talvez por falta de conhecimento ou mesmo um sentimento de inveja, poderão tentar sufocar esses planos, se manifestando com um espírito desmotivado, sem ousadia e que pode ser contagiante, sufocando assim o fruto futuro do chamado.

Já a semente plantada em boa terra, é tudo aquilo que fazemos seguindo os planos de Deus, seguindo à Palavra, sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda (Deuteronômio 28:14), antes permanecendo firme no propósito e no centro da vontade Dele, para as nossas vidas. (Isaías 26:3).

Devemos, pois, viver melhor o hoje, plantando coisas boas, para que assim possamos projetar melhor nosso futuro.

Ninguém que projeta na vida o plano de se formar (futuro) numa universidade e no curso de sua aptidão, alcançará o resultado desejado caso não se dedique e seja disciplinado no tempo presente, estudando e cursando a fase escolar momentânea e avançando em aprovações fragmentadas até o dia da sonhada festa de formatura.

Em resumo, nosso futuro é construído pela plantação que fazemos no presente.
Para o futuro, temos uma promessa de providência divina, colhendo os frutos das boas sementes plantadas.

Em Deus temos grandes e boas expectativas pelo o que virá. Nele não temos medo pelo o que pode transparecer em incertezas e insegurança, pois Nele não reside esse resultado. Deus está no presente mas também alcança o tempo futuro, preparando nosso caminho e colocando bênçãos nesse trajeto.

Para finalizar, vale o destaque musical da letra do cantor Kleber Lucas, inspirada no texto do livro de Joel 2:23-26, a qual aponta para um tempo projetado sempre na benção do Senhor, que diz:

“Alegrai-vos (presente), Filhos de Sião
Regozijai-vos (presente) no Senhor
Porque Ele vos dará (futuro),
Em justa medida, a chuva.

As eiras se encherão (futuro) de trigo
E os lagares transbordarão (futuro)
De óleo e vinho

Restituirei (futuro) os anos
Que foram (passado) consumidos
E lhes mostrarei (futuro)
A Minha salvação.
O melhor de Deus ocorreu no passado, com Cristo Jesus, se manifesta nos dias de hoje, através de Sua Palavra e também vai sendo revelado em cada tempo futuro, porque Deus é bom em todo o tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!