Verbo FM

Marizete Garcia presenciou o poder da Palavra em presídios

A professora ensinou no Curso Introdutório Bíblico Verbo da Vida e relatou as experiências de transformação na vida dos alunos em São Paulo (SP).
Marizete Garcia

Marizete Garcia auxilia seu marido José Amauri na supervisão as Igrejas Verbo da Vida na região de São Paulo. O casal fundamentou diversas obras em João Pessoa, Paraíba, até seguirem a direção de Deus para a grande metrópole de São Paulo. Na capital, a professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema e da Escola de Ministros tem ensinado a Palavra da Fé também, através do Curso de Introdução Bíblica Verbo da Vida, nos presídios.

Ela testemunhou os frutos desse lindo trabalho realizado em três presídios e nove fundações casas, que iniciou como resposta de muitas orações. “Muitas sementes incorruptíveis da Palavra foram lançadas em solo do estado de São Paulo até que vimos as primeiras manifestações rasgando o véu da escravidão e a vida fluindo e reinando sobre a morte”, afirmou Marizete.

Segundo ela, Deus levantou a Natália Lara para estar à frente articulando, negociando, estabelecendo e formando equipes juntamente com o pastor Bruno Andrade, Rafaela Garcia Andrade e demais irmãos pioneiros. “Hoje, Natália esta na interação com a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (FUNAP) e atua também no Grupo Sozo Missões Urbanas para abertura de novos trabalhos em presídios”, contou.

Inicialmente, a igreja Verbo da Vida em Vila Leolpodina, São Paulo (SP) foi a pioneira a romper nos presídios e a Igreja Verbo da Vida em Guarulhos (SP) nas fundações casas com a liderança de Giselle Kioko e, posteriormente, do Pr. Rodrigo Xisto. “As fundações casas são a antiga Febem. Posteriormente foram se agregando várias igrejas da nossa jurisdição para trabalharem juntos, hoje temos 16 delas cooperando no trabalho”, destacou Marizete.

A visão foi crescendo, adquirindo credibilidade e produzindo muitos frutos, recebendo respeito do setor judiciário a ponto de portas gigantescas serem abertas para o ensino da Palavra de Deus em todos os presídios do estado. No entanto, seguindo a visão, era necessário iniciar com os cursos introdutórios o que, hoje, ocorre em três dos presídios.

Marizete Garcia lecionando

Confira um breve relatório das atuações:

No local, 1973 mulheres estão encarceradas. Destas, 55 são alunas das turmas do ensino da Palavra, uma delas é o Curso de Introdução Bíblica e a outra com discipulado intensivo. A diretora do curso bíblico é Natalia Aquillar e a vice Lais Santos. A programação além de edificar as participantes, reduz a pena. Uma das turmas, todas as alunas são nascidas de novo e batizadas no Espírito Santo.

Na última visita de Marizete, nove delas receberam o batismo e vivenciaram um Pentecostes. Na equipe de trabalho, entre professores e monitores, são 52 pessoas. A vice-diretora da penitenciária explanou na ocasião, a seriedade e diferença do curso na vida das alunas, que estão se preparando para viver uma nova perspectiva de vida.

As aulas são uma vez por semana, aos sábados das 14h às 17h. A primeira turma na unidade foi em 2022, ainda este mês mais alunos iniciarão o curso. Na equipe, a diretora é Renata Almeida, o vice-diretor José Jovito e a equipe de trabalho: Will Jonathan, Magno Cezar, Alessandra Carmo e Mack Holder. Ao todo, são 41 voluntários, entre professores e monitores.

“Temos perspectiva de termos além do Curso de Introdução Bíblica, aulas do Rhema. Precisamos da liberação mais tempo semanal do presídio para começarmos a funcionar. Hoje é o nosso grande desafio”, afirmou a direção local.

Na unidade funciona uma turma do Curso de Introdução Bíblica. Foi iniciado um projeto, em que cada semana prega-se o Evangelho para um dos raios, que comporta 250 homens. Totalizando ao final do mês, mil homens que ouviram o Evangelho. No local, receberam o aval para a realização de batismo nas águas e a direção da Curso a pretensão de fazer duas vezes ao ano. O primeiro será agora em junho.

“Já tivemos uma turma formada, fizemos uma cerimônia de formatura e a Marizete Garcia foi nossa paraninfa, inclusive doou o livro Estava preso e me visitaste para os formandos. Estamos graduando a segunda turma do ano, agora em junho, com 21 alunos e a terceira turma do ano inicia em agosto”, afirmou a direção.

Para a realização do trabalho, a diretora Fabíola Bonazzi, vice-diretor Ronnie e o secretário Benedito Sérgio são os responsáveis pela equipe de 28 voluntários, entre professores e monitores. Foi construída uma sala para que as classes pudessem funcionar com a cooperação financeira das igrejas do estado. Como o presidio é provisório, eles ficam ali até serem julgados ou absolvidos. Por esta razão estão realizando o projeto piloto do MVV para o curso em, no máximo, 4 meses.

São nove funcionando, uma em ativação e outras cinco em processo de abertura. São 16 igrejas comprometidas apoiando o trabalho das fundações casas em São Paulo (SP). O menor infrator está sendo recuperado e isto traz impacto não somente a família, bem como a equipe de direção das próprias fundações.

Os frutos desses trabalho só é possível por causa do trabalho em unidade liderado pelo Pr. Rodrigo Xisto, em prol da visão de visão de salvação, cura e libertação do prisional, entendendo que é necessário não apenas medidas paliativas apresentadas, mas acima de tudo medidas definitivas, e isto apenas é possível em Jesus Cristo.

Como equipe sempre se reúnem, ajustando o que é necessário, dando a oportunidade de pessoas cumprirem os seus chamados, com compaixão, seguindo à visão. “E por esta causa eu dobro os meus joelhos, deixo que meus olhos possam ver a grande colheita que teremos nos presídios na ultima onda, resgatando apóstolos, profeta, mestres, evangelista e pastores! Para que presos em grades físicas ou soltos recuperados possam vivenciar uma vida digna, perdoada e resignada”, declarou Marizete.

Dessa forma, na caminhada da jornada, ela está obedecendo o que lhe foi confiado. “Enquanto estou em São Paulo nas jornadas da supervisão, procuro suprir as necessidades prisionais de um modo geral, pregando, ensinando e curando quando as portas me pedem!”, completou.

É um curso do Ministério Verbo da Vida. O Curso dentro do Sistema Prisional tem o intuito de ressocialização dos apenados. Após os alunos concluírem satisfatoriamente o Curso de Introdução Bíblica Verbo da Vida, a Unidade poderá abrir quantas turmas de Curso de Introdução deseje. Concluindo satisfatoriamente o Curso de Introdução, a Unidade está apta a abrir uma turma do Centro de Treinamento Bíblico Rhema.

DURAÇÃO DO CURSO: são 24 (vinte e quatro) matérias, aulas semanais, divididos em três blocos: A, B, C. A duração varia entre 9 meses a 1 ano, com carga horária mínima de 144h.

MISSÃO: levar a Palavra de Deus aos presídios e conduzir as pessoas ao novo nascimento, batismo no Espírito Santo e consciência do comportamento e caráter cristão.

VISÃO: alcançar todos os presídios no Brasil e no mundo com a Palavra da Fé e o amor.

O aluno tem o direito de receber material didático gratuito, certificado e declaração de horas cursadas.

Os professores são ungidos e capacitados disponíveis para ensinar nas salas de aula. Todo o curso dentro do Sistema Prisional é ministrado de forma gratuita, toda a equipe de diretoria, monitoria e professores ofertam de forma gratuita seu serviço no curso.

1 Comentário

  • ESTE TRABALHO TEM SIDO FUNDAMENTAL NA REINSERÇÃO SOCIAL DESTES REEDUCADOS.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!