Verbo FM

Scott Web falou acerca de sua atuação ministerial. Confira!

O pregador americano compartilhou as experiências que vivenciou junto ao Ap. Bud Wright e o Rev. Kenneth E. Hagin.
Scott Webb

O pastor Scott Webb está no Brasil. Neste mês de setembro, em especial, ele participou das Conferências de Ministros Verbo da Vida Sul e Sudeste. Ele é o fundador e o líder da Igreja Word of Life Christian Center (Centro Cristão Verbo da Vida) em Birmingham, Alabama, EUA. Confira a seguir sua entrevista concedida ao Portal e conheça um pouco acerca de sua atuação ministerial e vida de fé.


PORTAL: O senhor conviveu muito com o Ap. Bud Wright. Qual o sentimento de contemplar a expansão do Ministério Verbo da Vida, fundado por ele?

É extremamente gratificante e uma grande bênção ver o crescimento do Verbo da Vida. O pastor Bud e eu fomos juntos para o Rhema na mesma época. Ele foi o pioneiro dessa obra antes mesmo de eu saber. Em 2007, quando vim e aceitei o convite, fiquei boquiaberto com a obra que ele tinha estabelecido. Ao longo desses 16 últimos anos, tenho sido parte disso e vindo ao Brasil ano após ano. Realmente falo muito a todos sobre como Deus usou o Pr. Bud e a Mama Jan para estabelecer aqui um ministério tão dinâmico. Como amigo de Bud, estou grandemente abençoado. Só de ver o que Deus está fazendo, é encorajador e muito empolgante também!

PORTAL: Muitas pessoas têm diferentes caminhos para a fé. Poderia compartilhar conosco sua jornada pessoal de como você se aproximou de Deus e se sentiu chamado para o ministério?

Uma das razões pela qual eu sou um estudante da Palavra de Deus, e ela é tão importante para mim, é por causa do efeito que a Bíblia teve na minha vida. Eu cresci dentro de uma igreja denominacional e quando eu me tornei adolescente parei de ir, porque não tinha vida ali. Quando eu tinha cerca de 20 anos, comecei a ter interesse nessa questão dos últimos dias e eu comecei a ler livros, incluindo a própria Bíblia, começando por Mateus. Por toda a minha vida, eu ouvi falar sobre Jesus, sobre a morte d’Ele, a ressurreição d’Ele, o sangue d’Ele que foi derramado, mas não fazia sentido para mim, como algo que aconteceu há tantos anos tinha a ver comigo. Enquanto eu lia nas escrituras, cheguei na história da crucificação, no evangelho de Mateus. A entrada da Palavra de Deus foi nítida e eu vi Jesus pendurado na cruz e em como Ele assumiu o meu pecado. Naquele momento, eu nasci de novo. Desde criancinha o chamado de Deus já estava na minha vida, desde o nascimento, e eu tinha me esquecido daquilo totalmente, mas quando eu nasci de novo, instantaneamente, aquilo tudo voltou. Então, eu percebi que as mãos de Deus estavam sobre a minha vida o tempo todo. Essa é a razão pela qual a Palavra é tão importante; a reação da Palavra; pregar a Palavra debaixo da unção, porque traz luz para o espírito humano e essa luz traz vida.

PORTAL: O senhor conheceu o Irmão Hagin em Tulsa, pode compartilhar uma das experiências mais marcantes vivenciadas à época?

Eu segui o irmão Hagin de perto por 25 anos. Primeiramente, eu o conheci em 1978, e em 1980 o Senhor me direcionou para ir para o Rhema. O tempo foi passando, eu desenvolvi um relacionamento pessoal com ele. Então, nós tivemos muito tempo juntos de comunhão. Uma das coisas que se destacam para mim com essa pergunta, é que no início dos anos 90, o irmão Hagin fez uma Conferência de Ministros na minha igreja, ele fez vários cultos e, no último culto, ele pregou por 3h40. Todo mundo estava ali parado, ninguém se movia, você poderia ouvir até uma caneta caindo. No dia seguinte, nós estávamos juntos, depois que a conferência terminou.

Scott Webb

Minha esposa e a mamãe Hagin estavam fazendo compras. Nós estávamos dentro do shopping. Eu e ele estávamos sentados em um banco, do lado de fora das lojas. Então, eu comecei a perguntar para ele algumas coisas sobre o ministério dele. Perguntei para ele o porquê da tamanha unção sobre a vida dele. Fiz essa pergunta: “Alguém pode pregar a mesma mensagem, usar os mesmos versículos, até mesmo contar as mesmas histórias, mas tem uma diferença entre a mensagem delas e a sua mensagem. O que é isso?”. Então, o irmão Hagin me empurrou para trás um pouco e disse: “Esse lugar aqui é grande. Se eu gritar um nome ou uma palavra nesse lugar, você ouviria um ‘eco’ voltando para cá. O ‘eco’ estaria voltando à mesma palavra que eu emiti antes. Essa é a diferença. Eu sou uma voz e quando todas as outras pessoas são apenas um ‘eco’. As coisas que eu prego e ensino são as coisas que eu vivi. Eu não estou contando a história nem os testemunhos de outras pessoas.

Quando ele falou isso, eu fiquei com um arrepio atrás do pescoço. Eu entendo, eu vejo isso. Então, eu perguntei pra ele: “Espera aí. Eu não me levantei de uma cama enfermo, eu não fui curado com o coração deformado como você, há alguma esperança para o restante de nós?”. O irmão Hagin riu e disse: “Oh, sim! Se você for fiel, Deus vai te tornar uma voz e não um ‘eco'”. É algo que eu segurei todos esses anos. Deus estava falando isso comigo através do irmão Hagin.”

PORTAL: Como líder religioso, quais são os desafios e as oportunidades que você vê para a expansão da fé e do ministério no contexto atual?

Como você disse, assim como existem desafios existem oportunidades. As oportunidades são que, com esse advento das mídias sociais, é uma comunicação para fora, em que podemos alcançar o mundo em tempo real. Podemos pregar aqui no Brasil e as pessoas ouvirem naquele exato momento do outro lado do mundo. A oportunidade é espalhar a Palavra e isso ser multiplicado de uma forma grande. O desafio nisto, é que as pessoas ainda precisam dos cinco dons ministeriais. Não só com o ensino da Palavra. Eles precisam de pastores, de igrejas locais. A oportunidade para evangelizar é maravilhosa, mas nós também precisamos ser guiados pelo Espírito de Deus. Não só alcançar o perdido com a salvação, mas edificar os cristãos com os cinco dons ministeriais. Agora, eles estão sendo feitos e o Verbo da Vida tem feito um trabalho maravilhoso. Eu vejo que isso é tanto uma oportunidade como um desafio do cristianismo no século XXI.

PORTAL: Qual a importância de ter cursado o Rhema para o desenvolvimento de seu chamado ministerial?

O Rhema foi muito importante no meu desenvolvimento espiritual. Eu já estava estudando os livros do irmão Hagin, os ensinamentos, ouvindo os áudios dele, o rádio também, na época. O Rhema me conectou com algo que era maior do que eu. Algo que era, na verdade, uma grande companhia, que fazia parte do meu suprimento; uma oportunidade de fazer parte daquilo, trabalhar junto e também receber daquilo. Todo cristão precisa da sua própria companhia. No livro de Atos, diz que eles foram para sua própria companhia quando os problemas se levantaram. Então, o Rhema foi a minha companhia. Através de toda influência dos últimos 50 anos, eu tenho uma companhia para todo lugar que eu vou e ainda continua sendo a minha companhia.

PORTAL: Seus livros, “Salte” e “Agarrando o Espírito da Fé”, têm impactado muitas pessoas em sua jornada espiritual. Poderia compartilhar algumas das principais lições ou princípios que os leitores podem esperar encontrar neste livro?

Scott Webb

O livro foi escrito para preencher as lacunas. Existem livros maravilhosos sobre fé, mas como o Senhor me disse uma vez, a matéria fé pode ser ensinada, mas o Espírito da fé tem que ser agarrado. Eu ousei preencher algumas das lacunas e esclarecer alguns dos mal-entendidos que, na minha experiência, as pessoas estavam tendo por causa da mensagem da fé. Eu também acredito que este livro carrega o Espírito da fé; se você lê-lo, pode agarrá-lo. Agora o livro “Salte” fala sobre voltar da derrota, sobre o que você faz quando vai para o fundo. Todo cristão vai experimentar algum tipo de retrocesso em algum momento, mas se você continuar andando pela fé, Deus vai transformar esses retrocessos em algo que é em um salto!

PORTAL: Não é a primeira Conferência de Ministros no Brasil que o senhor participa. Como você se sente em relação a essa experiência e como tem sido esses dias?

No Brasil, já tem cinco ou seis anos desde a última vez que eu participei de uma conferência de Ministros. Nós tivemos conferências maravilhosas desde o início, mas depois de ter passado alguns anos sem vir, uma das coisas que eu vejo é o crescimento que já aconteceu nos ministérios e também nas igrejas. Na Conferência do Sul, em Caxias (RS), eu não conhecia quase ninguém, todos eram rostos novos, mas eles estavam tão famintos e havia tanta liberdade entre eles. Foi maravilhoso!

Nesta Conferência estamos começando, tem um grupo de pessoas que eu conheço, mas, ainda assim, cresceu tanto, que eles até tiveram que reorganizar o formato do auditório. Então, nós temos uma mistura, temos ministros mais velhos e mais maduros e, também, temos ministros mais novos. Para alguns, é a primeira Conferência de Ministros. Eu percebo que este evento começou de uma forma alta, mas também existe uma seriedade neste aspecto da Conferência. Então, é uma alegria para mim ter a oportunidade de estar aqui, poder transmitir e compartilhar os benefícios do meu ministério de 45 anos, coisas que eu aprendi para ousar e ser uma bênção para outras pessoas. Eu amo as Conferências de Ministros no Brasil!

PORTAL: Do alto de sua experiência ministerial, se pudesse deixar alguns conselhos para o jovens ministros, o que diria?

  1. Permaneça perto da sua companhia (Atos 4.23) e ouça aqueles que foram adiante de você;
  2. Seja fiel; permaneça com Ele. Vai haver trombadas, mas também muitas recompensas;
  3. Evite a aparência do mal; permaneça puro; não peque; ande em honestidade e integridade diante de Deus. O homem fiel abundará em bênçãos!

2 Comentários

  • Eu tenho o livro agarrando o espírito da fé tremendo o conferencista e um grande ministro internacional, eu creio que o senhor acrescentou muito aos nossos ministros através de Scott como também da nossa diretoria que nos amamos muito homens e mulheres de Deus renomados que são de grande importância para o ministério verbo da vida . Esse ministério tem conduzido o legado do apóstolo Bud com muita ousadia vida e santidade somos gratos ao senhor por cada um deles .

    Resposta
  • Eu li o livro salte e daí joguei a bolinho no chão para saltar bem alto, irmão foi com tanta força tanta força que eu joguei, porém, bateu bem na ponta do meu nariz “kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk”. Foi muito hilário, eu ri demais, só de lembrar começo a rir. Livro realmente muito eficiente, é um dos livros que aproximadamente 100% dos compradores leem por ser preciso, curto e interessante

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!