Igreja no Rio capacitou os professores do Departamento Infantil

Postado em
0

A Igreja Verbo da Vida de Cachamorra, em Campo Grande, no Rio (RJ) realizou um treinamento para os professores, auxiliares e novos voluntários da do Departamento Infantil.

Na oportunidade, os temas abordados foram: “Visão de excelência”, “Alegria em servir” e “Valores e responsabilidade”.

Márcia Carvalho, líder do departamento ministrou sobre três pilares importantes para quem ministra para crianças, que são: ser chamado, ter a visão de Deus e se capacitar!

Ela ainda falou a respeito da importância de cada um compreender o chamado para servir, tendo a visão espiritual, baseando-se no versículo de Josué 1.8 que dá instruções de como tirar os olhos do natural para enxergar o sobrenatural.

“O trabalho com crianças não é algo natural, é espiritual.”

Simone Cavalheiro, mediadora e líder da classe de acolhimento, falou sobre a inclusão das crianças especiais e deste lindo trabalho que esta se iniciando em nosso ministério infantil. “As crianças especiais precisam ser inclusas e muito amadas”, afirmou.

A fonoaudióloga Elaine Cristina abordou a importância dos cuidados com a voz. Ela orientou os professores sobre o funcionamento e quanto ao uso equilibrado das cordas vocais, bem como ensinou alguns exercícios para os professores saberem como mantê-las preservadas e saudáveis.

A auxiliar da liderança do Departamento Infantil, Shirlei Carvalho, ministrou sobre como montar e aplicar uma lição bíblica.

O ministro de crianças excelente é aquele que se prepara espiritualmente, orando, se consagrando  e estudando!

O treinamento foi encerrado com a participação de Vilma Ribeiro, esposa do Pastor Jefferson Ribeiro e supervisora do departamento. Ela finalizou contando um pouco do seu exemplo como professora do DI, logo que entrou no ministério, e enfatizou a excelência do departamento e sua gratidão por toda equipe. O sentimento de gratidão foi uníssono visto que os professores se sentiram ainda mais estimulados a servir como todo amor e dedicação que as crianças merecem.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA