Orando pela nossa Nação

Postado em
0

Thiago Freitas

Aluno da EMR em Belo Horizonte,MG

Quando falamos de orar por uma nação, não podemos nos esquecer das palavras do Apostolo Paulo, eu sua primeira carta a Timóteo: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito.Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador”… ITm 2:1-3

Intriga-me Paulo dizer: isso é bom e aceitável diante de Deus. Precisamos ter a consciência de que oração não é um mero ritual que praticamos, porque fomos ensinados que assim precisa ser feito. Ryan Adams, em entrevista ao portal da lagoinha, falando sobre oração disse: “Acredito que oração é uma das formas de aproximar o homem com Deus. Creio também que Ele deseja que seus filhos orem pela vontade Dele. A oração faz com que Deus se mova a favor de uma nação de forma imensurável”.

Então porque oramos? Observe em Genesis 1.26, lemos sobre o domínio dado ao homem sobre a criação. Em salmos 115:16, lemos: Os céus são os céus do SENHOR, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens”. Veja como essas escrituras se unem transmitindo uma mesma verdade.

O Senhor deu ao homem o domínio sobre a terra. Claro que a intenção do Pai foi compartilhar poder, agir por meio dos seres humanos criados a sua imagem. Pense nisso: a forma de governo de Deus se dá com compartilhamento de poder.

Recentemente tive o privilegio de ler algumas paginas do livro: “entendendo o poder e o proposito da oração”, e nele o Dr. Myles Moore, diz que orar é permitir que Deus atue na esfera que Ele deu autoridade aos homens de atuarem.

Ou seja, ele deu ao homem autoridade sobre a terra, e para Intervir, Ele conta com que os homens lhe dê a abertura de atuar com seu poder transformador. Jesus nos ensinou isso, Ele orou dizendo:  “venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”… (Mt 6:10)A intenção de Jesus ao orar dessa maneira era que a vontade do pai, existente na sua esfera de domínio (Céu), pudesse se manifestar na nossa dimensão de realidade.

Volto com a Pergunta que fiz no inicio: por que oramos? Como o Apóstolo Paulo nos incentivou, oramos para vivermos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito. Além disso, oramos porque queremos que o céu se una a terra na nossa nação. Queremos que as realidades de Deus invada cada área de nosso país. Queremos que as realidades do reino se manifeste na politica, educação, no poder jurídico, na saúde. Oramos porque queremos que a vontade de Deus seja manifesta diariamente em nosso Brasil. Vale mencionar, que, para isso acontecer eficazmente, precisamos nos conscientizar que a oração precisa ser acompanhada com o nosso testemunho diário. Oramos para que o reino venha, mas também somos agentes desse reino, e nossa vida precisa ser um exemplo vivo das realidades desse reino.

Nos últimos dias assistimos o povo brasileiro saindo às ruas e pressionando as autoridades para que haja mudança. A profecia de Jacobs, pronunciada no congresso de louvor e adoração do diante do trono em BH foi relembrada e espalhou-se pelas redes sociais. A Igreja reconhece o mover do Espírito impulsionando a história.

O amor pelo Brasil está sendo renovado nos corações dos brasileiros, que cantam o Hino Nacional, vestem verde e amarelo e carregam a bandeira, com um sentimento que vai muito além do futebol, mas como um protesto por dias melhores na pátria amada. Estamos vivendo dias históricos. Anos de clamores em favor da nação já provocaram mudanças e livramentos. Mas ainda há muito a ser transformado. A Igreja brasileira carrega a responsabilidade. Temos a chave da autoridade que move os céus e a terra. As promessas de Deus para a cura da nação pertencem a nós e exigem nosso posicionamento. Estamos experimentando o fortalecer no comprometimento em oração pelo país.

Os intercessores sentem as “dores de parto” se intensificar. Cremos que estamos no limiar de um novo tempo, da hora de dar à luz a um Brasil transformado. Charles Finney disse certa vez: “Quando me ajoelho para orar, oro como se tudo dependesse de Deus. Mas, Quando me levanto da oração, ajo como se tudo dependesse de mim”.Depende de nós, a Igreja Brasileia se levantar e ser a luz para um Brasil transformado.Vamos orar para que o Reino se manifeste em nossa nação, para que a vontade de Deus, “assim na terra como no céu venha”se cumpra em nosso meio, mas também vamos ser eficientes como embaixadores, sendo testemunhos vivos da realidades desse reino glorioso.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA