Paternidade

Postado em
0

por André Martins

Existe uma ânsia no ser um humano por paternidade. 

“Ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais…” (Malaquias 4:6).

Nessa passagem, Malaquias, inspirado pelo Espírito de Deus, transmite um desejo divino: Haveria um tempo em que a paternidade divina seria restaurada nos corações das pessoas. Deus como Pai, e nós, como filhos amados… Além disso, eu também acredito que Deus estava estabelecendo uma ordem: pais naturais que alcançam o coração dos seus filhos, por causa do influência, referência, amor, disciplina, servidão… Dessa forma, o coração dos filhos também se converte aos pais, provocando assim um fluir divino de relacionamento, parceria, submissão, segurança e amor.

Li uma reportagem que diz que existe só no Brasil, mais de 5 milhões e meio de filhos que não têm o nome do pai na identidade. Ou seja, paternidade não reconhecida, filhos que não sabem quem são seus pais. A simples ausência de um pai natural provoca muitas mazelas na vida dos filhos…  Ira, rebeldia, insubmissão, falta de identidade e propósito. A quem recai essa desordem? Nem sempre, mas muitas vezes, recai aos pais que não assumem a sua responsabilidade de ser pai.

A carência provocada pela falta de paternidade faz com que muitos se submetam a uma relação abusiva. Outros, ficam avessos ao assunto de paternidade tanto no espiritual quanto no natural, por causa do abuso de autoridade. Por essa ausência, muitas pessoas são avessas a referência masculina. E nesse ciclo, o caos é instalado, pela falta de ordem. Uma família sem pai padece, espiritualmente, tanto de uma forma financeira, quanto social e psicológica.  

Eu vim de um lar destruído. Por causa da separação dos meus pais, aos 13 anos, eu vi a desordem se instalando em nossa casa. Durante um tempo, aquilo provocou em mim um vazio imenso. Só Deus podia preencher esse lugar. Nunca duvidei do amor deles por mim. Mas graças a Ele, fui encontrado pelo Seu amor. Ele restaurou o meu relacionamento com os meus pais naturais. Só tenho amor e profunda gratidão pela vida deles. Eles fizeram o seu melhor. Como filho, cabe a mim honrá-los e celebrar os momentos inesquecíveis que tive.

Eu poderia muito bem alimentar os meus sofrimentos do passado, mas aprendi que eu não preciso reproduzir essas mazelas. Você não é escravo do seu passado. Decida pegar só o que há de melhor, para lhe fazer bem e não tirar a honra do seu coração. Gere de forma intencional gratidão em seu coração.

Mesmo que você não tenha tido um pai natural, saiba de uma coisa: Deus se torna seu pai espiritual! Deus se torna aquilo que o seu pai natural não foi. Além disso, Ele irá levantar pessoas as quais irão inspirá-lo a crescer, mudar e progredir.           

Quem é sua referência? A quem você se submete? A quem você presta contas?A quem você pede ajuda? Com quem você compartilha seus desafios? Se você não faz nada disso, é bem provável que você tenha se tornado tão independente, que nem de Deus você precisa. Existem muitos filhos sem pais espirituais. As pessoas estão desesperadas por referência.

Agora sou pai natural. Benício é uma alegria em minha vida! Ser pai natural me fez compreender mais o amor de Deus por mim. Ao mesmo tempo, eu sinto um clamor no meu espírito dizendo: “Ei, vamos lá, você pode ser um modelo! Não tenha medo, desenvolva-se! Eu estou com você!” Tenho aprendido que é minha a responsabilidade de deixar um legado para o meu filho. Que legado você está deixando para sua geração? Que referência você está se tornando para as pessoas? Como as pessoas o conhecem?

“O SENHOR, teu Deus, te introduzirá na terra que teus pais possuíram, e a possuirás; e te fará bem e te multiplicará mais do que a teus pais.” (Deuteronômio 30.5).

Se você assumir a sua responsabilidade, pessoas que se conectarem a você farão coisas maiores.

Existem pessoas que terão seus destinos afetados e transformados, porque você decidiu acreditar nelas. 

O maior legado na vida de um pai é saber que seus filhos o superaram. Um pai verdadeiro tanto espiritual quanto natural é aquele que sabe que seu filho fará mais que ele. Seu filho só vai fazer isso se ele olhar para você e ver uma referência. Não pelo tanto que você fala, mas pelo que você faz.

Nossas atitudes falam mais do que nós falamos. Os filhos vão reproduzir aquilo que eles veem em casa. Cabe ao pai dar voz ao futuro.

Por que a geração atual deve aprender com o passado para ser uma bênção no futuro? Porque a revelação de Deus para sua aliança sempre passou de pai para filho. De geração em geração. Tem muita gente sofrendo na vida porque não tem visão de futuro.

“Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz” (Provérbios 29.18).

“Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo” (Romanos 8.17).

Essa é a referência de paternidade. Deus faz isso com a gente. Não nos chama apenas de filhos. Ele nos dá as condições e recursos espirituais para vivermos a Sua vida original.

Às vezes, me pergunto qual é a maior herança que posso dar para o meu filho Benício. Será uma faculdade paga? Um imóvel como herança? Ou uma cartela de ações Bolsa de Valores? Nada disso! A maior herança que eu posso dar ao meu filho são os testemunhos e milagres dos benefícios do Senhor em nossa vida!

“No futuro, quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significam estes preceitos, decretos e ordenanças que o Senhor, o nosso Deus, ordenou a vocês?’ Vocês lhes responderão: ‘Fomos escravos do faraó no Egito, mas o Senhor nos tirou de lá com mão poderosa” (Deuteronômio 6.20-25).

Veja, meu alvo nesse post é estimular você (pai natural) a se tornar uma expressão de Deus na vida dos seus filhos. Mas eu não quero limitar essa mensagem apenas aos pais naturais. Quero que você entenda que Deus conta com você para se tornar um pai espiritual de muitos.

Já me perguntei sobre quem poderia ser meu pai espiritual. Já pensei: “Há, fulano eu gosto! Tem uma mensagem que eu amo ouvir!”  ou “Eu gosto muito do jeito de Ciclano”  Não! Não é assim que a banda toca!

Pai não se escolhe. Pai se tem. Já tive líderes espirituais que às vezes não faziam as coisas do jeito que eu gostaria. Mas quem disse que eles têm que fazer o que eu quero? Eu é que preciso aprender a receber o que eles tem de melhor.

Então, quem é o meu pai espiritual? Meu pai espiritual é aquele que me conduz a maturidade em Cristo. Aprenda a perceber quem são essas pessoas em sua vida. Honre, valorize, considere. Provavelmente, elas estão desejosas de ver você ir além.

Há galardão para os pais. Há recompensa para os filhos. E nesse fluxo divino, nosso mundo é transformado.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA