Maná Diário

26 DE DEZEMBRO – Nosso Pai

“[…] porque vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós lho pedirdes. Portanto, vós orareis assim: Pai nosso […]” (Mateus 6.8,9).

Até mesmo Israel, nação à qual Deus dera uma revelação de Si mesmo, tão clara quanto era possível dar a homens espiritualmente mortos, não conhecia realmente Deus. Os israelitas não reconheceram Deus manifesto na carne quando Jesus Se colocou no meio deles (segundo a Antiga Aliança, a presença de Deus ficava fechada no Santo dos Santos).

Foi, portanto, para uma atmosfera dura e severa de justiça que Jesus Cristo veio. E os judeus dos Seus dias não conse­guiam compreendê-lO. Jesus se referia a Deus como Seu Pai. Contava do amor e do cuidado de Deus para com os Seus! Ficaram desorientados. Quando Jesus apresentou Deus como um Deus, que é Pai de amor, Suas Palavras, em sua maioria, caíram em ouvidos espiritualmente surdos.

Nós, no entanto, ao meditarmos nas palavras de Jesus a respeito do amor de Deus, precisamos confessar que até mesmo sendo filhos de Deus, nascidos de novo, às vezes, deixamos de perceber esse aspecto de Deus que é o amor. Os judeus não compreendiam a respeito de quem Jesus falava. Era novidade para eles. E, para dizer a verdade, é novidade para a maioria dos membros das igrejas de hoje! Pois, muitas pessoas foram ensinadas a ter medo de Deus, a recuar diante de um Deus da justiça. Nunca viram, real­mente, o aspecto do amor de Deus que Jesus revelou.

Confissão: “Faço agora uma decisão de qualidade, de ver e conhecer o amor de Deus que Jesus revelou. Meditarei na revelação de Deus que Cristo me concedeu, até realmente reconhecê-lO como meu Deus, Pai de amor”.

1 Comentário

Comentários estão fechados.

Destaques da semana​