Conselhos aos casais

Postado em
2

por Denise Renner
(vice-líder da Igreja Boa Nova em Moscou na Rússia)

Vou falar um pouco da minha experiência no ministério com o meu marido. Eu oro para que você receba algo. Aprecio tudo o que Deus tem feito em vocês e creio que Deus tem me dado algo para os ensinar. A mensagem é direcionada aos maridos e esposas, mas se você não é casado, poderá aplicar na sua vida também, porque se trata de relacionamentos, e na igreja também se trata de nosso relacionamento com Deus e com as pessoas. 

Anos atrás, eu comecei a estudar especialmente sobre casamento. Eu sabia que Deus queria que eu aumentasse o meu entendimento nessa área. Comecei a entender que o meu respeito pelo meu marido precisava aumentar, e se você me perguntasse se eu o respeitava naquela época, eu diria que sim, eu era uma mulher cristã, mas haviam coisas que eu precisava fazer diferente. 

Mulheres, o primeiro versículo que o Senhor me guiou a falar está em Provérbios 14. 1: “A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata derruba a sua.” 

Quando comecei a ler esse texto, a princípio, trouxe medo ao meu coração, pensei: “Deus eu estou edificando ou destruindo?” Não existe uma coluna do meio ai. Vi ali a grande responsabilidade que Deus colocou em nós, esposas. Nós somos as responsáveis por edificar a nossa casa. Então, se fizermos escolhas erradas e destruirmos a nossa casa, teremos problemas. Eu tinha as minhas desculpas. Mas, se eu pudesse receber sabedoria de Deus, concordando com o Senhor, me aplicando, edificando assim a minha casa, seria maravilhoso para o meu casamento. Eu sei que cada uma aqui tem esse desejo, edificar a sua casa. 

Mulheres, olhem para as suas mãos e digam: “essas mãos edificam a minha casa!” 

Coloque a sua mão no seu coração e diga: “eu sou uma mulher sábia”

Efésios 5.33 nos diz: “Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.”

Maridos, a primeira parte do versículo é para vocês. Amar a esposa como a si mesmo. A Bíblia diz que nenhum homem odeia a si mesmo. Então, maridos, as suas ações com a sua esposa deveriam ser de se sacrificar por ela e se doar. Vocês são ordenados a cuidar delas. A esposa precisa da sua gentileza. 

Esposas, vejam a segunda parte do verso, vocês devem respeitar seu marido, ele precisa de respeito, a tentação da esposa é corrigir e mudar o marido e o diabo tentar colocar um contra o outro. Mas através do sacrifício de Jesus ele levou essa maldição.

Mulheres, podemos parar de criticar, corrigir os nosso maridos. 

E vocês, maridos, sejam amáveis e gentis, se sacrifiquem por ela.

De todos os relacionamentos no mundo, de mães e filhos, de amigos, apenas o casamento é comparado com o relacionamento eterno entre Cristo e seu povo. Então, tem que ter algo especial no casamento.

Nos estados unidos e na Rússia a estatística de divórcio é alta, cerca de 50 % , e isso causa grande sofrimento, não sei a estatística aqui no Brasil. O divórcio causa sofrimento aos filhos e aos casais.

Quanto mais estou casada, mais eu estudo e quanto mais eu falo com mulheres de corações partidos e homens com as vidas massacradas mais eu entendo o divórcio, porque isso dilacera a alma humana.

Um casamento forte é um testemunho na terra.

Vejo algumas pessoas casadas e elas não parecem estar felizes, parece até que nem estão experimentando a vida, estão com os corações partidos, e o diabo está trabalhando duro para quebrar isso, mas quando você tem um casamento forte testemunha para o mundo o poder de Deus. Enquanto aumentava meu conhecimento eu comecei a respeitar mais o meu marido, aprendi a respeitá- lo como ele é.

Talvez, o seu cônjuge precisa mudar, talvez você pensa que ele ou ela precisa mudar, mas parte do respeito é aceitar alguém da forma que aquela pessoa é. 

Vim de uma família que comia de forma saudável comidas como vegetais colhidos no quintal de casa, e o tempo passou, nos casamos, e logo  eu descubro que Rick era diferente, ele comia macarrão e todas essas coisas diferentes de hoje em dia, eu olhava o prato dele, nada de salada, nunca tocava nas frutas. Eu pensava: “eu preciso ajudá-lo.” Comecei a orar para que ele comesse como eu comia, eu oferecia salada para ele, mas ele não estava aberto as minhas sugestões.

Um dia eu estava olhando o prato dele, e pensando, coitado do Rick, ele não come certo e o Espírito Santo falou comigo: “Se ele comer desse jeito pelo resto da vida dele, não é da sua conta.” Isso fez duas coisas, libertou ele e me libertou. Não é meu trabalho tentar mudá-lo. Não é meu trabalho corrigi-lo.

Não se você já notou, mas na condição humana, nós não gostamos que as pessoas tentem nos mudar, queremos ser celebrados, como somos.

Jesus falou a respeito de julgar uns aos outros. 

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?” (Mateus 7.1-4)

Não julgueis para que não sejais julgados.

Não acho que Jesus só queria ser duro, mas Ele sabia que se nós julgássemos, colocando as nossas vestes de justiça, quando gastamos a energia mental, tendo atitudes de julgamento, isso vai voltar para nós e vai trazer sofrimento para nós todas as vezes. Não traga sofrimento para a sua vida.

De acordo com Jesus, da mesma forma que nós julgamos alguém, é da mesma forma que aquilo volta para nós.

Vamos dizer que você tenha 15 pensamentos diários de julgamento com seu cônjuge. Isso vai retornar para você. Nenhum de nós gosta disso, mas essa é a verdade.

Vejo isso como um processo, primeiro nós olhamos, pensamos: “Ele precisa mudar nisso”

Estamos tão ocupados olhando e pensando que nem consideramos o argueiro que está no nosso próprio olho.

Argueiro no olho é uma pequena falha moral, mas o que nós estamos olhando é na verdade uma grande trave e nem podemos ver que temos essa grande trave em nós mesmos porque estamos gastando tanta energia olhando o argueiro da outra pessoa. 

Saímos de olhar e pensar, e agora estamos falando. “Ah, se você perdesse um pouco de peso, você ligasse para a minha mãe, se você orasse mais…” Algumas esposas dizem: “Eu sou a sua ajudadora…”

Algumas mulheres se tornam críticas tentando mudar seus maridos.  Existem também alguns maridos que se tornam dominantes e duros tentando mudar sua esposa. Mas não é seu trabalho tirar o argueiro no olho de ninguém, nem dela.

Quando entendi o amor de Deus por mim, o perdão dele, as pedras de julgamento que estavam nas minhas mãos caíram ao chão. 

Hoje eu reconheço que se existe um argueiro, não é meu direito tentar tirá-lo, só Deus e Ele tem essa habilidade. 

Esposas, orem pelos seus maridos. Mulheres, as nossas orações são mais poderosas do que a nossa boca. Quando fechamos a nossa boca, isso abre a porta para Deus falar. Às vezes, quando estamos tentando mudar alguém, elas nem conseguem ouvir Deus, porque tudo o que elas conseguem ouvir é você. 

Maridos, vocês podem amar mais suas esposas, você pode trazer flores, escrever bilhetes, carregar pessoas, abrir portas, segurar a mão dela. Estou falando como mulher. Nós precisamos da sua segurança e do seu amor. Eu sei que vocês precisam de respeito, eu sei que isso encoraja você. Você é o provedor. Sejam mais compreensíveis com suas esposas, elas estão cuidando da casa, dos filhos, precisam do cuidado e apoio que você possa dar a ela. Talvez ela não seja todas as vezes gentil, mas ela quer ser. 

Ao invés de tentar mudar um ao outro, sejam gratos, porque o outro não é como você é. Posso te dizer isso. Se o meu marido fosse como eu, nem estaríamos aqui hoje, eu estaria orando para dar o primeiro passo, meu marido é um líder maravilhoso.

CELEBRE AS SUAS DIFERENÇAS!

*Trechos da mensagem durante a Conferência de Ministros Verbo da Vida, em Julho de 2019  

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA