Verbo FM

Vida de louvor

por Douglas Ferraz
*Diretor do Centro de Treinamento Bíblico Rhema 

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade… Para louvor da glória de sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado, Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade; com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo (Efésios 1.3 – 6, 11-12).”

Paulo está falando um pouco da obra redentora, daquilo que Jesus veio fazer. Ele não veio apenas nos dar algo, mas nos tornar algo. Jesus nos tornou filhos de Deus através do seu sacrifício na cruz, da sua obra redentora.

E quando nós falamos nesse texto, algumas pessoas o utilizam falando de predestinação de uma maneira errônea, onde Deus escolhe algumas pessoas para viver sofrendo, onde algumas pessoas nasceram com um propósito de Deus para serem milionárias e outras pobres, onde Deus quer que algumas pessoas sejam salvas e outras não. Mas a Palavra predestinação aqui diz que todos nós, toda a humanidade nasceu com um propósito, uma predestinação, ser filho de Deus.

Nos tornamos filhos de Deus através de Jesus. Quando nos tornamos filhos tempo um propósito, a fim de sermos para o louvor da Sua glória. Vida de louvor não tem a ver com a ministração da música, a técnica vocal, ou a voz bonita.

Vida de louvor é ser filho de Deus e viver para o louvor da Sua glória.

A música é uma ferramenta de louvor, é uma ferramenta de expressão, amor e gratidão ao Senhor, mas, mais do que isso, vida de louvor é uma vida consagrada, voltada a exalar a natureza de Deus que habita dentro de nós. Vida de louvor é saber que todos os dias acordamos com um propósito: dar o louvor e glória a Deus. Deus nos chama de filhos, nos traz para perto e nos inspira com um propósito de vivermos para Ele. 

O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado (Isaias 61.1-3).  

Quando temos uma ocasião especial, um casamento, uma reunião importante, a gente sempre vai em busca da melhor roupa, do melhor traje. Não existe roupa melhor do que vestes de louvor sobre a sua vida. Vestes de louvor ao invés de espírito angustiado. Isso me mostra que uma vida de louvor é exatamente o contrário de uma vida de angústia e incredulidade.

Uma vida de louvor não é uma vida onde a gente passa tanto tempo pensando nos problemas, naquilo que está acontecendo ao nosso redor. Nós estamos vestidos, irmãos, com essa roupa pronta e preparada para aquilo que Jesus chamou em João 4.24. Ele está conversando com aquela mulher no poço e diz: “vem a hora e já chegou em que os verdadeiros adoradores, adorarão ao Pai em espírito e em verdade”.

Em Apocalipse 1.6 está escrito que Jesus nos constituiu reis e sacerdotes para o seu Deus e Pai. Essa é a nossa realidade em Cristo. Quando falamos reis entendemos que essa posição é de governo, autoridade. É aquele que manda e comanda uma nação no espaço. Em Cristo Jesus recebemos autoridade, somos chamados de filhos de Deus e estamos inseridos no reino de Deus.

Ele nos constituiu sacerdotes, e sacerdote na Palavra de Deus tem o sentido daquele que oferece sacrifício, aquele que oferece ao Senhor, que cuida das coisas do Senhor, da adoração. Ele nos constituiu reis, mas também sacerdotes. Somos edificados para sermos sacerdotes santos, a fim de oferecermos sacrifícios espirituais agradável a Deus por intermédio de Jesus. Somos chamados para sermos sacerdotes da Nova Aliança, chamados para manifestar sacrifício de adoração com a nossa vida, atitudes e palavras. Esse é o verdadeiro louvor.

Uma vida de louvor não é a totalidade dos minutos de música na igreja, mas se manifesta quando passamos por essas portas e temos atitudes que glorificam ao Senhor, independente de quem está nos vendo, se as pessoas vão nos elogiar. Você faz o que agrada a Deus, porque ama a Ele e é um sacerdote que oferece ao Senhor.

Em I Coríntios 10.31 diz: “fazei tudo, tudo para glória de Deus”. Há uma diferença entre ministro de louvor e ministro de música. Dentro da igreja local, temos as pessoas chamadas para exercer o ministério de música, tocando e cantando. Muitas vezes consideramos essas pessoas como superiores porque cantam e tocam. Parece que elas podem atingir lugares que você não pode atingir, mas existe capacidade dentro de nós para louvar ao Senhor independente de sermos afinados, se somos músicos ou não.

Nós podemos oferecer ao Senhor o nosso sacrifício, através das nossas atitudes. Quando somos tentados a sonegar impostos, parece prejuízo, mas você sabe que o que tem nas mãos foi Deus que deu, Ele quem proveu.

A arca foi levada para Jerusalém e Davi ofereceu sacrifícios ao Senhor. Ele dançava com todas as suas forças e estava cingido de uma estola sacerdotal. É interessante porque Davi era rei, e havia diferença entre as vestes de um rei e as vestes de um sacerdote. Davi ocupava uma posição de alto nível de autoridade, mas diante da chegada da arca da aliança, da expressão da presença de Deus, ele não está vestido de rei, mas vestido com vestes de sacerdote.

A Bíblia diz que Davi dançava com todas as suas forças. Se Davi dançava na Antiga Aliança com todas as suas forças, na Nova Aliança nós dançamos na força do Espírito. E ele dançando, a sua esposa olhava e reprovava aquela manifestação de adoração, aquele sacrifício de adoração ao Senhor. Passado aquele momento ela o indagava e dizia que ele estava se expondo ao ridículo diante dos seus servos, sendo rei.

Quantas vezes recebemos comandos da parte de Deus e somos freados por aquilo que as pessoas vão pensar de nós? Quantas expressões de louvor Deus coloca nos nossos corações e não nos preocupamos em fazer! Por que e o que será que o irmão ao meu lado vai pensar?

Ali, quando Mical indagou sobre essa dança, Davi disse: “se for preciso eu ainda farei mais”. E aquela atitude dela, a tornou estéril. 

Esse espírito de Mical ainda continua rondando as nossas vidas, tentando paralisar as expressões que Deus tem colocado nos nossos corações, que vão ser louvor para Ele. Quando Deus inspira você a fazer algo porque a presença d’Ele está presente, não é só uma dança, um pulo. Você está obedecendo a um comando de Deus e há uma benção na obediência. Quando expressamos nosso louvor com nossas atitudes e com o nosso corpo, com as nossas palavras nós vamos ver o sobrenatural agindo em nosso favor. O diabo conhece o poder da adoração. Em Gênesis, quando Deus criou o homem, ele foi criado a imagem e semelhança. Deus soprou fôlego de vida naquele boneco, e a partir dali se tornou um ser criado à imagem e semelhança de Deus, alma vivente.

Nós somos criados à imagem e semelhança de Deus, mas desde o Céu, Lúcifer tenta roubar algo que não pertencia a ele: a adoração. Por isso ele foi expulso do céu.  Quando ele estava na terra se encontrando com Adão e Eva, faz a mesma coisa, tentando para que o homem pecasse. E, quando o homem pecou, houve um rompimento de comunhão com Deus. A partir desse momento, Satanás foi colocado como Deus do mundo, o governador do sistema. E ele é adorado. 

Mas havia um princípio no início: a aliança da adoração. Ela se constituiu quando Deus soprou o fôlego de vida no homem. Não era só vento, mas o Espírito, o próprio Deus, compartilhando a sua vida. O homem era um ser inspirado por Deus. Era por isso que o homem tinha sabedoria para dominar e governar. Quando somos inspirados por Deus, Ele nos dá sabedoria para governar. Ele nos dá sabedoria no casamento, negócios e tudo que fizermos será para o louvor da sua glória.

Era assim com Adão. Deus o inspirava. Ele recebia inspiração e tudo que fazia voltava para Deus como louvor e adoração. Esse é o processo da aliança da adoração. Ele foi interrompido na queda com o pecado, e, a partir daí, Satanás começou a propagar as suas obras e se utiliza da música como instrumento de idolatria e divulgação de tudo aquilo que é trevas. 

“Quando ouvirdes o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a espécie de música, prostrar-vos-eis, e adorareis a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado” (Daniel 3.15).

O  rei chamou os instrumentistas daquele momento para criar um ambiente de idolatria: “quando ouvirem o som dos instrumentos, vocês se prostem e adorem, e se não adorar serão laçados na fornalha”. Sabemos o final da história. Eles não se prostraram e foram lançados na fornalha. Mas dentro daquele lugar não estavam sozinhos. Saíram ilesos, nem fedendo à fumaça.

Satanás utilizando música para idolatria, músicas para divulgar morte, parece alegria, mas são mensagens demoníacas que estão sendo propagadas, e, de repente, começamos a cantar a música do diabo. 

Um dos sacrifícios que oferecemos para Deus, sai da nossa boca. É tempo de abaixarmos o volume do diabo e aumentarmos o som daquilo que está dentro de nós, sobre o som daquilo que pertence a você em Cristo Jesus.

Inspire-se naquilo que é correto. Inspire-se n’Ele! Enchei-vos do Espírito falando. Encha sua casa de louvor. Cerque sua casa com cânticos de livramento e provisão. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!