Verbo FM

E assim nasce o amor

Eduarda Lins
Eduarda Lins
Aluna da Escola de Ministros Rhema

As coisas mais improváveis do mundo podem acontecer antes de encontrarmos o amor. Alás, como faz para ele nascer? Um sorriso, um abraço, ou uma vida dessas mesmas coisas sendo compartilhadas no dia a dia? Você nunca parou para pensar em como os amores surgem? Como duas pessoas de mundos distantes se encontram e, de repente, nasce o amor?…

Você faz sempre o mesmo caminho para o trabalho, faculdade e casa, todos os dias a mesma coisa, o mesmo lugar no ônibus, o mesmo horário, as mesmas pessoas. Tudo parece ser tão igual que a única vontade que você tem é de olhar pela janela, a paisagem lá fora parece ser mais interessante do que todos ao seu redor. E você segue a vida dessa maneira achando que é improvável alguém novo aparecer para mudar o teu olhar de direção…
 
Você também nunca parou para imaginar que existem outros lugares para se encontrar alguém, mesmo que não esteja procurando. Elas costumam surgir do nada, sempre foi o que me disseram, elas surgem e mudam a rota, não apenas do seu olhar, mas da sua vida. Mas para que isso aconteça você precisa estar atento.
 
Dizem que os olhares falam coisas que nenhuma palavra poderia pronunciar com profundidade o que significa. Os abraços costumam ter uma intensidade maior, os apertos de mãos ficam mais demorados, os sorrisos mais intensos… Algumas pessoas dizem que é assim que tudo acontece. Mas como temos certeza que isso são sinais do amor que estar para nascer?
 
Eu tenho uma opinião formada sobre isso, e independente do que todos acham, eu digo que, para mim, o amor nasce quando uma unica pessoa decide cuidar de outra pessoa, sem esperar que ela retribua, sem, se quer, pensar que algo surgiria, até que, quando menos imagina, o amor está lá te sorrindo, te dando as mãos e te pedindo para andar juntinho com você. O amor não é interesse, não é fazer algo por alguém esperando que essa pessoa também faça o mesmo. Para mim, o amor nasce dos pequenos momentos, das pequenas simplicidades plantadas ao longo de uma vida, de uma história, de uma amizade.
 
O amor nasce de uma construção diária, muros que erguemos sem interesses no dia a dia. São tijolos que colocamos, ajustamos e rebocamos. É como construir uma casa, demanda tempo e paciência. Os detalhes fazem parte, porque sabemos que no final da construção olharemos um para o outro com orgulho do que construímos. Ajustes serão feitos ao longo da caminhada, mas nada que venha fazer a casa demolir, porque o tempo que foi gasto durante a construção foi suficiente para alicerçar todas as coisas no lugar certo.
 
É assim que nasce o amor.

2 Comentários

  • Diria que seria isso “a fórmula do Amor”Parabéns Eduarda!
    Que a Graça de Deus seja abundante na sua vida!
    Moézio Santos
    Campina Grande-PB

    Resposta
  • Simples assim! kkkkkkk
    Muito boa a tua descrição do amor Eduarda.
    Que Deus continue te abençoando.

    Abraços, na Paz de Cristo.

    Jane Mary-
    Fortaleza/CE.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!